Com novas coleções, parcerias e projetos diferenciadores, um foco renovado na responsabilidade social e um novo segmento de produto – o do mobiliário exclusivo, em porcelana e cristal manuais, a Vista Alegre continua a inovar e encantar com toda a sua capacidade criativa.va_alma-de-lisboa

História

Vista Alegre nasceu 1824,e esteve sempre ligada à história e à vida cultural portuguesa; em 2001, fundiu-se com o Grupo Atlantis e em 2009, o Grupo Vista Alegre Atlantis através de uma oferta pública lançada com sucesso sobre as suas ações passou a integrar o Grupo Visabeira.

Modernidade assente na #EssênciaDePortugal

O dinamismo criativo da Marca explica-se em muito pela existência de um laboratório de investigação e desenvolvimento que acolhe, na fábrica da Vista Alegre de Ílhavo, em residências criativas com duração de um a três meses, artistas de todo o mundo, o que tem vindo a conferir universalidade às coleções, onde se continua a perceber a #EssênciaDePortugal, que, espero, não se venha a perder como fator de diferenciação. Esta essência e estética lusa atravessam a gama “Alma”, com conjuntos que pintam a universalidade portuguesa: Lisboa, Braga, Coimbra, Porto, Viseu, Luanda, Maputo e Rio de Janeiro.

A premiada gama“Primavera”, em parceria Christian Lacroix, onde ressalta o refinado trabalho de pintura manual

A premiada gama“Primavera”, em parceria com a Christian Lacroix, onde ressalta o refinado trabalho de pintura manual

Esta abertura ao mundo é, na minha opinião, a linha condutora da presença da #VistaAlegre na última Maison & Object em Paris, na feira de Frankfurt e outras, sob o tema “História, Património e Biodiversidade”: da coleção “Amazónia”, por cada peça vendida será plantada uma árvore na floresta, a este junta-se outro projeto de responsabilidade social – as peças decorativas “Endangered”, num alerta aos animais em risco de extinção. Esta visão de alargar mercados nota-se também com a parceria com o #CovetGroup no desenho de peças exclusivas em número muitíssimo limitado, ou à já tradicional parceria com a Christian Lacroix… veja tudo isto e as magníficas peças  de cerâmica e cristal, com fortíssima aposta no design que foram lançadas na feira no vídeo abaixo.

Com a faturação de 2018 a aproximar-se dos 100 milhões € e a exportar perto de 70%,  o foco é na #Inovação, investigação e desenvolvimento que lhe permitam maiores níveis de competitividade, dispondo assim de uma maior diversificação de produtos, para alcançar um maior número de clientes, recorrendo a canais de distribuição muito variados”, sendo que a “internacionalização vai continuar a ser o foco do grupo”.

A marca tem já lojas próprias em Espanha, França e México, e está presente em cerca de 60 países. Gosto do objetivo de Marketing a que se propõem – “projetar a Vista Alegre como uma ‘love brand’ global”. Bravo!

Jaime Hayon

Jaime Hayon

#MagsFinalTouch – É importante que a marca mantenha o seu DNA e que o saiba equilibrar com a #Tendências e os #EstadosDeNecessidade dos targets emergentes e novos consumidores – é esta a razão na aposta no #Design e em tantos designers estrangeiros. é o caso da coleção “FolkiFunki de Jaime Hayon que vê na Vista Alegre a capacidade técnica, o rigor no fabrico e a herança artística, tão português mas também tão internacional”. Fundamentos para uma relação colorida que prevê, cada vez mais, “afirmar duzentos anos de história no século XXI”.
Entretanto, muitas páginas de sketchbooks continuarão a ser preenchidas com as mais delirantes ideias…

#MarcasPT2019, uma #MarcaPortuguesa por dia, dia53