À boleia do vintage, e numa estética própria  que conjuga a modernidade e o minimalismo, os últimos anos trouxeram as louças Bordallo Pinheiro para as casas de muitos consumidores que as ligavam apenas aos pratos-couve das casas das avós…

Como isto se faz? Um passo foi a estratégia de parcerias com artistas contemporâneos, como a Joana Vasconcelos que modernizaram a  a marca e a voltaram a referenciar junto a um consumidor mais jovem; a ela juntaram-se outros artistas portugueses e brasileiros, e desde 2013 que a Bordallo Pinheiro participa também em grandes feiras internacionais, como a Maison & Objet, numa aposta cheia de cor e relevo, por oposição, ou pela conjugação com a  estética minimalista do design nórdico.

Esta estratégia estética obriga a uma produção essencialmente manual, mas cujos processos foram melhorados e otimizados. A Marca acabou de lançar um serviço de jantar na cadeia Zara Home, composto por oito peças em formas de vegetais, em branco, verde e encarnado e com preços que oscilam entre os 9,99 e os 99,9€. É uma opção de posicionamento em lojas frequentadas pelas gerações mais jovens – location! location, location! bordalozara

Raphael Bordallo Pinheiro foi dos mais influentes #Designers do século XIX  e ficará para sempre como uma figura incontornável, primeiro pelos seus desenhos humorísticos, caricaturas e crítica política, social, cultural e ideológica da época.

Em 1884 quando começa a sua produção cerâmica na Fábrica de Faianças nas Caldas, revelando peças de enorme labor técnico, qualidade artística e criativa, desenvolvendo: azulejos, painéis, potes, centros de mesa, jarros bustos, fontes lavatórios, bilhas, pratos, perfumadores, jarrões e animais agigantados, etc. Surgem também figuras populares como o Zé Povinho, a Maria da Paciência, a ama das Caldas, o polícia, e outros . Os seus trabalhos ganharam dimensão internacional logo na época pois realizou exposições no Brasil, Espanha, Holanda, França e nos Estados Unidos, sendo muitas vezes premiado.

As suas criações decorrem de tradições locais, nomeadamente na olaria caldense, adotando a fauna e a flora como inspiração decorativa e com influências tão vastas quanto diversas: do Naturalismo ao Renascimento, passando pela Art Nouveau e pelo legado hispano-árabe. A obra de Bordallo e o que é hoje a #MarcaPortuguesa de louças, assenta na #EssênciaDePortugal! Acontece a quase todas as #MarcasPortuguesas fortes.

A pós a grave crise de 2008, a marca foi adquirida pelo Grupo Visabeira que lhe assegura a continuidade produtiva e histórica e forte aposta na revitalização, nacional e internacional, da cerâmica portuguesa e do património artístico do fundador da Fábrica de Faianças Artísticas;

Ao manter a integridade da tradição, recorrendo aos motivos naturalistas na origem do grande projeto bordalliano, a par das técnicas de fabrico ancestrais, a Bordallo Pinheiro inscreve a sua oferta na contemporaneidade, graças à excelência e contínua reinvenção da sua produção, ao nível estético e técnico.
As peças utilitárias e decorativas da marca continuam assim a alimentar o imaginário coletivo nacional e a levar mais longe o prestígio da cultura e da indústria portuguesas.

#MarcasPT2019, dia45