A Mãe era uma cristã super convencional, mas moderna. Gostava de estar a par das modas!

Existia o Ayer e mais duas ou três lojas que traziam peças exclusivas, sobretudo de Paris; mas eram as revistas internacionais que mostravam as tendências que, com os tecidos comprados na baixa eram  adaptados e reproduzidos pelas “modistas”.

Para mim “a Moda” começou a existir no final dos anos 70, e o melhor que me podia acontecer era encontrar peças da Mãe, dos anos 50 e 60 que tivessem sobrevivido…

Pelo resto da Europa tinham passado os hippies, o flower power, os padrões psicadélicos e até os punks, mas por cá às massas, imperava a estética do “povo unido jamais será vencido”. Mas já iam despontando por Lisboa uns spots por onde o sentido estético e do gosto se ia desenvolvendo. Enfim… basicamente existia “Os Porfírios”…

A #Maçã, da #AnaSalazar, na Avenida de Roma foi a primeira montra que vi deste novo mundo emergente. Já tinha existido a da Avenida da Igreja, mas eu ainda era muito criança, e a da Rua do Carmo ficava “longe”. Ana Salazar que já tinha nascido “no meio de agulhas e linhas” trazia das suas idas a Londres as influências a tornou-se uma verdadeira instituição que mudou a forma de vestir dos portugueses. Foi, na minha opinião o nascimento da #ModaPortuguesa, do #PortugueseFashionDesign!

Os anos 80, a boémia do Bairro Alto Lisboa fervilhava de criatividade e abertura à expressão individual a par do surgimento das tribos urbanas. Eclodiu a moda de autor em Portugal. E a moda portuguesa nunca esteve tão na moda! Apareceram finalmente a Marie Claire e a Elle em português, a Máxima, multiplicaram-se as escolas de moda, os estilistas e os acontecimentos ligados à moda.

Os desfiles eram verdadeiros happenings, por vezes épicos, a que assistiam pessoas vestidas a rigor.

Mas “ver coleções” só começou verdadeiramente a acontecer a partir de 1991, ano da 1ª #ModaLisboa, o verdadeiro acelerador da #ModaPortuguesa, e onde desfilaram as criações de Ana Salazar, #NunoGama, #LuísBuchinho, José António Tenente ou  Alves / Gonçalves. Desde a primeira hora, #EduardaAbbondanza, à altura ela própria  designer (da marca Abbondanza/Matos Ribeiro) à frente da Moda Lisboa. A Eduarda será ela própria uma marca que ficará para sempre ligada à moda portuguesa, mas essa é uma outra história.

Em 1995 nascia Portugal Fashion no Porto,

#ModaPortuguesa, MarcasPT2019, uma #MarcaPortuguesa por dia

 

Foto de capa – Observador.pt