timberland 2.0Há alguns anos a revista Visão publicou uma entrevista ao neto do fundador da Timberland, de passagem por Portugal para acompanhar o lançamento das ecológicas Erthkeepers 2.0, cá produzidas e modelo topo de gama, dirigido a um segmento empenhado em reduzir a sua pegada ecológica.

Esta aposta em #Inovação de qualidade foi feita em Portugal, onde a qualidade do padrão de produção é assegurada. Segundo o então CEO um modelo de de 100.000 pares de botas para serem vendidas a cerca de 300€ (preço premium) é feito cá. Quando ganhar tração, passa a vender 1.000.000, baixa o preço e a produção passa para a China. E será desenvolvido e lançado outro modelo topo de gama, com produção cuidada, e com processos artesanais.

É isto a #EssênciaDePortugal: aproveitar os saberes de artesãos, que por via da forte industrialização de outros países, apenas existem cá. E valorizar esse capital humano: eles produzem produtos de excelência com o valor acrescentado da manufatura: em quantidade reduzida, de alta qualidade e caro. Aos milhões e barato é na China.

Ao tempo, Jeffrey Swartz (judeu sefardita, talvez por isso com alguma ligação a Portugal) apontou duas razões para produzir , em Portugal: a tecnologia e a proximidade do mercado, visto que este é um modelo com muito boa aceitação na Europa», esclareceu: a qualidade de produção garante apenas 100 mil unidades, mas perfeitos!

Este modelo (Earthkeepers 2.0) alinha um outro aspeto da #EssênciaDePortugal – a sustentabilidade: São botas com 2ª vida: integram materiais reciclados de alta tecnologia (por exemplo a sola é de Green Ruber com 42% de borracha reciclada de pneus) e estão desenhados, para depois de usados, serem entregues: 80% dos componentes são recicláveis.

#MagsFinalTouch: Entretanto a família Swartz vendeu a Marca ao Grupo VF e tem vindo a integrar outro tipo de valores e de linhas de inovação.