Anunciado por António Costa no #WebSummit de 2016, hoje é o dia em que começam as candidaturas aos 200M do “Co-Invest with the Best”

200M_Logo-1024x724É um fundo de co-investimento com privados que pretende alavancar projetos de maior dimensão, nomeadamente os tecnológicos que só no estrangeiro teriam acesso a este tipo de financiamento. Isto sobretudo para a fase de aceleração que é quando se acrescenta valor e cria empregos, permitindo a capitalização e consequente “escalação” rápida de projetos.

Desenhado em linha com a dinâmica do empreendedorismo, dos ecossistemas de startups e a falar na língua da Revolução Digital este programa destina-se a atrair entrepreneurs, Startups e fundos de investimento para Portugal numa lógica globalista de parcerias entre valências portuguesas e estrangeiras. Até aqui tudo perfeito.

O desenvolvimento tecnológico, a criação de novas empresas pela geração melhor preparada, com mais acesso à informação e neste mundo global deve recuperar essa característica tão portuguesa – o sermos um povo verdadeiramente universalista!

Resta-me contudo desejar que se saiba incorporar o DNA português, a #EssênciaDePortugal, aquilo a que gosto de chamar o #FatorViriato. Que esta visão universalista dos negócios e da #Inovação saiba incorporar os saberes, o conhecimento e as valências do “ser Português”!

É desta tensão entre a globalização, a customização e a autenticidade que está a melhor
oportunidade para a definição estratégica de Portugal: a colaboração entre saberes únicos (muitos já
perdidos por outros povos que foram passando pelas Revoluções Industriais 1.0 – 4.0 mais musculadas), as indústrias criativas, as competências de gestão e de construção de marcas criam um mix inimitável capaz de
acrescentar valor. Este enquadramento permite verdadeiramente encontrar um factor de diferenciação para o País.

#MagsFinalTouch: João Vasconcelos, ex-Secretário de Estado da Indústria ficará para sempre ligado ao impulso da Revolução Digital em Portugal