Etiqueta: #Inovability

Portugal da economia 1.0 à 4.0: dois séculos de #Inovação

Em plena digitalização da sociedade e no burburinho dos Hubs de StartUps e do Web e outros Summits parece que a #Inovação Tecnológica é espuma dos dias de hoje. Não é. Sempre tem existido e sido alavancagem da Indústria portuguesa; alguns exemplos de inovação industrial nos últimos dois séculos: 1784 o primeiro tear movido a energia mecânica externa – mudanças de escala local, indústria 1.0, one size fits all; 1870 primeira linha de produção eléctrica – mudanças de escala nacional,  indústria 2.0, one size fits everywhere; 1969 primeiro controlador programável – mudanças de escala global, indústria 3.0, one size fits...

Ler Mais

Startups portuguesas no WebSummit

WebSummit day2 a Kiss My Score foi a  #StartUp portuguesa que mais me divertiu…  O discurso não é o meu – é o do meu filho. Está desenhada “By guys for guys” que são o target maioritário de futebol e de apostas sobre futebol… mas eu amo futebol. Donde: gostei! Mesmo não sendo para mim – a proposta é ser uma app para “Brofessional Bets: Bet football scores against friends”. É muito digital native generation: parte do princípio que se passa mais tempo a acompanhar futebol via mobile que nos estádios ou mesmo na TV, no money envolved, são portanto...

Ler Mais

#Inovação: e agora o #DesignThinking não funcionava….!?!?

Já desconfiava mas agora a HBR arrasa com estas ferramentas: Fornecem pouco enquadramento ao objetivo (desfocando o propósito e a estratégia) São mais fortes em tags e buzzwords que em informação São a metodologia racional/experimental dos anos 70, simplificada pelo senso comum E, portanto, pouco eficazes na criação de insights poderosos para o desenvolvimento dos negócios. Pior! o que HBR vem dizer é  mantém o Status Quo! São innovation killer! Design Thinking Is Fundamentally Conservative and Preserves the Status Quo What?!?!?! O Design Thinking assenta no desenho, no fluxo, e não no objetivo, o que logo à partida reduz a abrangência...

Ler Mais

A #Inovação e o “Fator SAP”: Quando o fornecedor é mais importante que o cliente.

As organizações orientam os seus processos para o cliente, certo?  Certo. Exceto o SAP! O software de gestão é o último setor económico em que o fornecedor é mais importante que o cliente! Como? Vejamos uma típica implementação de sistemas SAP numa empresa: no ano -3 uma equipa de consultores SAP começa a analisar os processos, os fluxos internos e os touch points externos. No ano +1 já foram alterados os principais processos da empresa para se adaptarem ao SAP, o ano +2 é o caos e no ano +3 é contratado como Gestor de Operações o consultor SAP que...

Ler Mais

Com elas sff

A #Ginjinha.  A melhor do mundo era a da Tia Guilhermina; a da Mãe nunca passava do 2º lugar e acho que ela nunca entendeu porquê : mas a verdade é que assim que as ginjas começavam a ficar docinhas e engelhadas, uma hoje outra para a semana, confesso que alguém lá em casa as “roubava” dos frascos… 😉 Agora, na falta destas, basta-me uma boa companhia, um pretexto e qualquer uma serve, desde que seja com elas!  A Marca “Ginjinha” e algumas marcas de ginjinha souberam dar a volta e (re)entrar nos hábitos regulares dos consumidores e turistas. Localização, localização,...

Ler Mais

Pin It on Pinterest

00

Subscreva o Website

Receba no seu email uma notificação sobre as últimas publicações aqui no meu website.

A sua subscrição foi concluída com sucesso.